domingo, 22 de agosto de 2010

Leitura

Formação do Pequeno Leitor

By Mara Rolin


            

     Sendo a Educação Infantil e Ensino Fundamental a base do processo educativo e tendo como finalidade o desenvolvimento integral da criança, é importante que nesse período o processo de construção da leitura aconteça de forma lúdica, reflexiva e interdisciplinar, especificamente no que diz respeito à formação de um leitor.  

     Para que a criança adquira o gosto pela leitura, é importante compartilhar com ela momentos de leitura para que descubra o sentido, o segredo e a magia das palavras. Desde a infância é possível estimular e desenvolver uma relação prazerosa com a leitura, proporcionando o contato com livros desde os primeiros meses de vida. O exemplo dado por pais e educadores é primeiro referencial para um pequeno leitor. Se uma criança convive num ambiente favorável a leitura, certamente achará essa prática natural e terá maior facilidade no processo de construção da leitura e em adquirir o hábito de ler Para Bamberger (1975): “O desenvolvimento de interesses e hábitos permanentes de leitura é um processo constante, que principia no lar, aperfeiçoa-se sistematicamente na escola e continua pela vida afora através das influências da atmosfera cultural geral e dos esforços conscientes da educação...”

     A prática da leitura não se restringe apenas codificar e decodificar sinais gráficos, mas em saber utilizá-los.O ato de ler caracteriza a relação do sujeito com o mundo que o cerca. Adquirir o hábito de ler depende dos estímulos e das experiências vivenciadas pelos educandos desde a infância,no lar e na escola. “A formação do pequeno leitor deve começar bem cedo;e prosseguir em gradativo aprofundamento, até o final de seu ciclo de estudo, na Escola”. (Coelho (1997: 9)

     O grande desafio por parte da família e dos educadores está na busca de ações que despertem o interesse e o prazer em ler diante das inovações. Os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa orientam: “Formar leitores é algo que requer condições favoráveis, não só em relação aos recursos materiais disponíveis, mas, principalmente, em relação ao uso que se faz deles nas práticas de leitura.” (PCN. Ling.Port.1998.p.71)

     É importante criar uma atmosfera agradável a prática da leitura e disponibilizar a criança diversos gêneros textuais, e diversas fontes de leitura.

A importância dos livros e demais portadores de textos é incorporada pelas crianças, também, quando o professor organiza o ambiente de tal forma que haja um local especial para livros, gibis, revistas etc. que seja aconchegante e no qual as crianças possam manipulá-los e “lê-los”... As crianças, desde muito pequenas, podem construir uma relação prazerosa com a leitura. Compartilhar essas descobertas com seus familiares é um fator positivo nas aprendizagens das crianças, dando um sentido mais amplo para a leitura. (RCNEI, 1998.v.3,p.135)

     Para que o processo de construção da leitura aconteça de maneira significativa, é importante que a leitura seja trabalhada de forma alegre, criativa e divertida para que cause prazer e não por obrigação. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa: “Ler por si só já é um trabalho, não é preciso que a cada texto lido se siga um conjunto de atividades a serem realizadas”. (PCN. Ling.Port. 1998)
 
     A leitura deve ser vista como uma prática de integração do “Ser” com o “Mundo” porque ultrapassa as palavras e parafraseando Fanny Abramovich, é por meio desta prática que podemos descobrir outros lugares, tempos, outros jeitos de ser e de agir. Para Paulo Freire (1998): “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”. Por meio das experiências vivenciadas pela criança no ambiente em que vive a leitura vai sendo inserida em sua vida, primeiro pela observação de sua realidade, por aquilo que ela lhe oferece para ser “lido” e interpretando, a realidade de cada dia é o que permite a aprendizagem e o conhecimento. Por experiência, posso dizer com propriedade que pequenas atitudes diárias podem desenvolver a leitura significativamente.
 
     Sempre propus diversas situações de leitura para meus três filhos desde muito pequenos, como a leitura de rótulos e nomes de produtos, nomes de comércios, ingredientes de receitas que preparamos, lista de supermercado, o cardápio da lanchonete, os nomes deles e de pessoas da família, os nomes dos filmes e músicas que gostam, entre outras. Após esta experiência de “leitura do mundo”, a leitura da palavra vai acontecendo por meio do processo escolar de uma maneira mais sistematizada. Para Paulo Freire (1998): “... aprender a ler, a escrever, alfabetizar-se é, antes de mais nada, aprender a ler o mundo, compreender o seu contexto, não numa manipulação mecânica de palavras, mas numa relação dinâmica que vincula linguagem e realidade”. Outra situação interessante de leitura que compartilhei com meus filhos foi “nossa caixinha de surpresa”. Preparei uma caixinha de maneira especial, uma caixinha de presente, e sempre colocava bilhetinhos para eles com desenhos e frases bem curtinhas. Além dos laços afetivos que criamos sempre estávamos na expectativa de um novo bilhetinho, ampliando o afeto e desenvolvendo a leitura.
 
     O mundo da leitura envolve múltiplas dimensões e diversos fatores que devem ser considerados para que o processo da leitura se desenvolva satisfatoriamente. Sendo assim, é preciso proporcionar um ambiente agradável e criar estratégias, ações e situações favoráveis, articulando conteúdo e realidade, vivências e experiências para que as crianças possam se apropriar do conhecimento desenvolvendo o processo da leitura significativamente.
 
      A literatura tem a capacidade de despertar em cada um o prazer da descoberta e levar a perceber as relações entre o mundo real e imaginário revelado nas obras literárias.Segundo Nelly N. Coelho “A literatura é um autêntico e complexo exercício da vida, que se realiza na linguagem”. É importante considerar a faixa etária da criança para destinar a elas textos com características que se ajustam ao desenvolvimento cognitivo, emocional, motor e psicológico. É importante escolher textos que despertem o prazer quanto ao ato de ler e sejam vistos como formas significativas de conhecimento que se mostra como possibilidades que vão acontecendo e sendo construídas por cada um de acordo com suas vivencias e experiências.
 
     Um grande aliado para obter o sucesso no processo de construção da leitura e na formação do pequeno leitor é trabalhar com o gênero poético. O gênero poético apresenta riqueza de linguagem, proporciona motivação e diversão. Ao brincar/jogar com as palavras pode-se desenvolver a oralidade, a expressão corporal, o raciocínio, entre outras habilidades. Para Piaget (1990), “a dinâmica cognitiva tem no ato de brincar possibilidade de ampliar conceitos e habilidades, integrando os pensamentos com as ações”. Nesse sentido, observando a própria realidade, de maneira criativa e significativa, as crianças podem construir sua leitura, transformando e ampliando a visão de mundo.
 
     Um poema é construído por meio de expressões cotidianas e palavras combinadas que adquirem novos sentidos, construindo ritmos e imagens, integrando o brincar, o criar, o imaginar, que aproxima, agrada e faz parte do universo infantil. Um poema é capaz de despertar na criança o prazer pela leitura por meio de descobertas, fazendo-a perceber as relações entre o mundo real e o mundo da imaginação. A riqueza presente no gênero poético, aliada ao encanto e sensibilidade que as poesias despertam, é capaz de proporcionar ao leitor diversão e conhecimento.
 
     Por meio de um conto de fadas, de uma fábula, um poema, de uma história contada ou lida, pode-se desenvolver a aprendizagem de maneira lúdica. A riqueza presente nas diferentes histórias, aliadas ao encanto que despertam, proporciona diversão e conhecimento. Por meio da literatura infantil é possível despertar o senso critico e a reflexão sobre diversas situações da vida real, sobre assuntos ligados a ética, cidadania, respeito, sobre a relatividade de valores, além de despertar a imaginação e a criatividade.
     Atitudes simples podem ser algo indispensável para estimular a leitura, contar histórias, ler poesias, brincar de fazer rimas, cantar, visitar bibliotecas, entre outros, são maneiras de desenvolver o hábito da leitura.

     Na minha experiência como mãe, tenho obtido sucesso quanto a despertar o hábito de ler em meus filhos. Procuro sempre ser criativa, invento personagens, mudo a entonação da voz, faço adaptações nas histórias, brincamos de jogo da rima... Minha filha Maria Eduarda se encanta com “A Bailarina de Cecília Meireles”, pois assim como no poema, também tem o sonho de ser bailarina. Meu filho Murilo já brincou bastante com “As Borboletas de Vinicius de Moraes”, inventou novas rimas, inseriu mais cores e novas características ás borboletas. Meu filho Danilo também já se divertiu com “A casa de Vinicius de Moraes”, ele adora que eu cante a música e enquanto estou cantando ele faz gestos, brinca de construir e desconstruir a sua casinha. A Literatura Infantil faz parte da nossa História. Foi ouvindo desde muito cedo muitas historinhas contadas e lidas que minhas crianças aprenderam a amar os livros e se encantar com a magia da leitura/literatura. Como consequencia também aprenderam a ler muito cedo e assim, a leitura/literatura para meus filhos tornou-se algo prazeroso e indispensável em suas atividades diárias.
 
     Por ser um veiculo de sensações, descobertas, conhecimento e diversão, a literatura pode agir como facilitador nos processos de aprendizagem e na formação do pequeno leitor. Por meio de bons textos e da arte de contar historias é possível aproximar, instruir e divertir, estimulando e fazendo a criança compreender e fazer associações de forma significativa, dinâmica e interativa. Ao possibilitar a criança o contato com a literatura utilizando uma maneira agradável é possível fazê-la sonhar, imaginar, sentir, descobrir, compreender melhor o mundo, a si mesma e construir o conhecimento percebendo as relações entre o seu mundo e o mundo revelado por meio da literatura.

Maria Eduarda e Murilo
Momento de leitura com a mamãe

                                                        Danilo "lendo" no banho
                                                                              

Danilo concentrado na "leitura"
                                                                           
Murilo observando um panfleto de supermercado

Maria Eduarda e Murilo em um momento de leitura


Nenhum comentário:

Postar um comentário